Atividades culturais na Estação da Luz promovem Dia da língua portuguesa

Música, teatro, poesia e oficinas artísticas gratuitas nos dias 4, 5 e 6 de maio são parte das ações educativas do Museu da Língua Portuguesa, atualmente em reconstrução

A língua portuguesa é hoje a quarta língua mais falada do mundo (atrás apenas do mandarim, espanhol e inglês), com milhões de falantes em todos os continentes, da América do Sul ao Extremo Oriente. Para celebrar a herança cultural que une os falantes do português, o 5 de maio foi instituído como Dia da língua portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de língua portuguesa (CPLP) – e, este ano, a data ganha celebração especial aqui no Brasil: serão três dias de música, teatro, poesia e oficinas artísticas no saguão da Estação da Luz, em São Paulo, como parte das ações do Museu da Língua Portuguesa, atualmente em reconstrução.

As atividades, gratuitas, acontecem nos dias 4, 5 e 6 de maio (agenda completa abaixo). Seguindo o espírito que consagrou o Museu da Língua Portuguesa, as ações reúnem tecnologia, interatividade, envolvimento do público e a relação do espaço e da Língua com a cidade e com o ambiente urbano. Haverá desde uma instalação sonora com os ruídos produzidos na estação até vídeo mapping com frases já famosas nas ruas de São Paulo, passando por atividade poética com cartazes “lambe-lambes”, show da dupla de embolada Caju e Castanha, apresentação de DJ e roda de conversa com escritores.

A programação cultural é uma realização dos parceiros da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa, com o apoio da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Consulado Geral de Portugal – São Paulo. O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo e Grupo Itaú e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu.

De acordo com o Power Language Index, ranking do Fórum Econômico Mundial divulgado no fim de 2016, o Português é um dos dez mais valiosos do mundo para participação na economia, intercâmbio cultural, capacidade de diálogo, turismo, imigração, entre outros critérios. E nas últimas duas décadas, segundo estudo do Observatório da língua portuguesa, tem ganhado ainda mais força como resultado da integração da comunidade lusófona, formada pelo Brasil, Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial, Angola, Moçambique e Timor Leste.

“Uma língua com mais de 700 anos de história e partilhada por mais de 260 milhões de pessoas não precisa de mais apresentações, e sim de celebração! Uma das línguas mais nasais do mundo, o português merece mesmo a denominação de língua romântica. Os antigos gregos consideravam os sons nasais como os mais belos e sensuais de todos. Estavam certos. E como disse Fernando Pessoa: “minha pátria é a língua portuguesa”, declara o Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, José Luiz Penna.

José Roberto Marinho, presidente da Fundação Roberto Marinho e vice-presidente do Grupo Globo, lembra que o Museu da Língua Portuguesa tem um acervo imaterial e sempre vivo. “O museu está sendo reconstruído e a nossa língua está sempre em construção. E é essa Língua viva, elemento central da nossa identidade, tanto como indivíduos quanto como membro dessa comunidade de lusoparlantes, que celebraremos nesses três dias na Estação da Luz”.

As atividades culturais vão reunir artistas que atuam com a palavra como ponto central de seus trabalhos nesse marco histórico da cidade, por onde passam milhares de pessoas diariamente, e onde são criadas diariamente novas palavras e histórias. Nesse sentido, a seleção de artistas de distintas formações, linguagens e regiões promove uma experiência de diversidade que tem a estação como ponto de encontro.

Para o diretor presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, a língua portuguesa é um dos elos mais fortes a unir as culturas brasileira e lusitana. “A nossa língua criou no espaço da lusofonia uma forma idêntica de pensar, por isso Brasil e Portugal são países tão próximos. A comemoração do Dia da Língua é também a celebração da relação entre as duas nações”, afirma Miguel Setas.

“Em um país onde o índice de leitores é baixo, é importante ter mais brasileiros lendo e mais brasileiros lendo mais. O Museu da Língua Portuguesa representa este esforço, na medida em que trata essas questões não só de maneira direta mas também de forma lúdica, por isso o apoiamos e incentivamos todas as iniciativas perenes que se relacionam com livro, com a leitura, e com incentivo ao hábito de ler. Esta programação no Museu é muito positiva e simbólica já que celebra a data que une os falantes do português”, observa Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural.

SERVIÇO

Dia da língua portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de língua portuguesa (CPLP) – 4, 5 e 6 de maio de 2017
Estação da Luz, Praça da Luz, 1, Luz, São Paulo
Grátis

4 de maio
Contrasom – Instalação sonora (dia inteiro). Ativação da obra com artista às 15h
Microrroteiros da cidade – 11h às 17h
Contando e cantando grandes autores brasileiros – Grupo 59 de Teatro – 12h às 14h
Palavreando – Tânia Reis, Daniela Mota e Vitor Meneghetti – 17h
Show Caju e Castanha – 18h às 19h
Linhas Cruzadas – Projeção Mapeada interativa– 18h

5 de maio
Contrasom – Instalação sonora (dia inteiro). Ativação da obra com artista às 15h
Microrroteiros da cidade – 11h às 17h
Contando e cantando grandes autores brasileiros – Grupo 59 de Teatro – 12h às 14h
Palavreando – Tânia Reis, Daniela Mota e Vitor Meneghetti – 17h
Encontro com a música e a poesia – Sarau do Binho – 18h

6 de maio
Contrasom – Instalação sonora (dia inteiro). Ativação da obra com artista às 15h
Microrroteiros da cidade – 11h às 17h
Bate-Papo “Escrever a cidade” – 11h
Palavreando – Tânia Reis, Daniela Mota e Vitor Meneghetti – 12h
Contando e cantando grandes autores brasileiros – Grupo 59 de Teatro – 12h às 14h
ABC do Som – DJ Paulão – 16h

SAIBA MAIS SOBRE A PROGRAMAÇÃO CULTURAL

  • Contrasom – Instalação Sonora com André Damião
    Conhecemos bem a experiência da visão na contraluz, ver algo de um ponto oposto àquele em que a luz incide. Na instalação sonora montada na Estação da Luz, André Damião propõe uma perspectiva sobre o som e a palavra em um espaço oposto ao qual os sons do cotidiano da estação incidem; ouvir o som dos trens, dos passantes, dos avisos em contrasom. Intervenções acontecerão por meio de performances, e a instalação será alimentada por elementos do espaço.
    Local: Passadiço entre as ruas Mauá e Praça da Luz
  • Microrroteiros da cidade com Laura Guimarães
    Microrroteiros são pequenas histórias escritas por Laura Guimarães e coladas nas ruas na forma de lambe-lambes coloridos, que descrevem cenas inspiradas no cotidiano das cidades e acontecimentos da vida diária. A proposta é estimular a imaginação de repente, no meio do caminho.
    O público da Estação da Luz será convidado a ler e imaginar microrroteiros e, a partir daí, criar suas próprias histórias em lambe-lambes, para que sejam inseridas nos painéis dispostos em frente à Estação da Luz. Como um grande painel coletivo, formado de distintas histórias de diferentes pessoas. O objetivo é trazer à tona a criatividade e, principalmente, despertar esse olhar que observa o entorno, que reconhece as histórias que acontecem o tempo todo à nossa volta, que se reconhece na história do outro.
    Local: Saguão e andaimes da parte externa.
  • Show Caju e Castanha
    Não existe no Brasil uma dupla como Caju e Castanha. Eles fazem embolada de improviso, em qualquer situação, e transitam entre todos os públicos. Há quarenta e dois anos , Caju e Castanha estão na estrada, nas praças, nos palcos do Brasil e do mundo, fazendo a autêntica cultura popular nordestina e brasileira. Ecléticos, contagiam todo tipo de plateia, seja nas praças do Recife, Rio de Janeiro ou São Paulo. Nesta apresentação, eles mostrarão um pouco de seu repertório e convidarão o público a participar também.
    Local: Saguão
  • Encontro com a música e a poesia – Sarau do Binho
    O Sarau do Binho acontece há mais de 15 anos na Zona Sul de SP. É um encontro de pessoas ligadas às várias linguagens culturais – poetas, artistas plásticos, músicos, cineastas, fotógrafos, atores, entre outros – realizando vários projetos voltados ao incentivo à leitura, à criatividade e a uma consciência crítica. Para essa ocupação o Sarau do Binho traz textos, música e poesia e, com o microfone aberto, convida o público da estação a participar.
    Local: Saguão
  • Bate-Papo – Escrever a cidade, com Roberto Taddei e Joca Terron
    Os escritores paulistanos Roberto Taddei e Joca Terron, autores de livros como “Existe e está aqui e então acaba” e “Noite dentro da noite”, respectivamente, propõem um bate-papo sobre como a cidade é representada no trabalho de alguns escritores contemporâneos. A conversa se inicia no saguão da Estação da Luz e segue pelo bairro do Bom Retiro, finalizando na Casa do Povo. Os participantes poderão utilizar fones de ouvido durante o bate-papo.
    Local: Saguão da Estação da Luz, deriva pelo bairro do Bom Retiro e termina na Casa do Povo.
  • Linhas Cruzadas – Projeção Mapeada com Lina Lopes
    A partir de uma mesa com livros abertos e frases escritas com tinta condutiva, o público será convidado a interagir com projeções de grandes dimensões dentro da Estação da Luz. As pessoas tocam as frases nos livros e elas aparecem nas projeções, ecoando e fluindo pelo espaço. As frases foram colhidas da paisagem urbana da cidade como “mais amor por favor” e “trago seu amor de volta em 3 dias”. A ação será comandada pela artista e designer em mídia digitais Lina Lopes, que atua com projetos de vídeo mapping, interatividade e luminotécnica.
    Local: Plataforma de embarque.
  • Contando e cantando grandes autores brasileiros – Grupo 59 de Teatro
    O Grupo 59 de Teatro encena trechos das obras “Histórias de Alexandre”, de Graciliano Ramos, e “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”, de Jorge Amado. As cenas buscam uma forma de comunicação com os espectadores por meio de um jogo-brincadeira de contação de histórias, apoiado na palavra e no trabalho corporal dos atores, para tecer uma colcha de retalhos onde contar, cantar e dramatizar entrecruzam-se e criam uma poética própria. A apresentação faz parte de um projeto de pesquisa realizado pelo Grupo 59 que tem como objetivo levar ao palco obras de grandes autores de língua portuguesa direcionadas ao público infanto-juvenil, preservando o texto original e colaborando para a difusão da nossa cultura literária.
    Local: Saguão e outros espaços da estação.
  • ABC do Som – com DJ Paulão
    No encerramento das celebrações pelo Dia Internacional da língua portuguesa, o set do DJ Paulão traz a mistura que caracteriza a língua, com músicas de vários lugares do Brasil, Portugal e África, em diferentes ritmos, cantadas por falantes de português ou estrangeiros, combinando música e poesia.
    Local: Saguão
  • Tania Reis
    Atriz portuguesa residente em São Paulo, Tania Reis começou a atuar aos 7 anos na Companhia do Porto, Seiva Trupe, e participou de inúmeras montagens em Portugal e no Brasil. Em 2012 fundou a Companhia “as de fora”, que pesquisa a transposição da prosa para o palco. Em sua performance “Palavreando”, ela e os atores brasileiros Daniela Mota e Vitor Meneghetti adentram no universo da Prosa e Poesia de três autores: o português Fernando Pessoa, o moçambicano Mia Couto e o angolano José Eduardo Agualusa.
    Local: Saguão.

HISTÓRICO DO MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA

O Museu da Língua Portuguesa está em obras de restauro das fachadas e esquadrias desde 21 de janeiro, etapa que deve ser concluída em outubro deste ano. Mas várias providências foram tomadas logo após o incêndio que atingiu o espaço em 21 de dezembro de 2015. As ações emergenciais começaram apenas 48 horas após o acidente, com o objetivo de preservar o conjunto arquitetônico, protegendo as áreas descobertas das chuvas e retirando os escombros. Dentre elas, a impermeabilização das lajes expostas, instalação de sistemas de drenagem e construção de uma cobertura provisória, além da limpeza de equipamentos e mobiliário.

Em janeiro de 2016, foi firmado convênio entre a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho e a organização social IDBrasil, com o objetivo de reconstruir o Museu da Língua Portuguesa.

Em março, o Governo do Estado de São Paulo e a Fundação Roberto Marinho deram início a uma articulação junto à iniciativa privada para apoiar a reconstrução. A aliança solidária foi realizada com o apoio da Granito & Partners, e resultou nos patrocínios firmados com a EDP, Grupo Globo e Grupo Itaú.

Três meses depois, foi realizado na Pinacoteca de São Paulo um seminário aberto ao público, com participação de profissionais envolvidos na criação e operação do Museu, com o objetivo de debater as conquistas e os caminhos para sua reconstrução, após o incêndio de dezembro de 2015. Ao longo de todo ano de 2016, o IDBrasil realizou atividades educativas e exposições itinerantes em São Paulo.

Em dezembro do mesmo ano, as empresas EDP, Grupo Globo e Itaú se uniram à Aliança Solidária e anunciaram seus patrocínios.

Estão em curso, desde 21 de janeiro de 2017, as obras de restauro da fachada e esquadrias. Esta etapa tem previsão de conclusão em outubro deste ano.

SOBRE O MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA

Em 10 anos de funcionamento, o Museu recebeu cerca de 4 milhões de visitantes (319 mil destes em ações educativas). Primeiro do mundo totalmente dedicado a um idioma, trouxe ao país um novo conceito museográfico, que alia tecnologia e educação. Com uma narrativa audiovisual e ambientes imersivos, permitiu aos visitantes descobrir novos aspectos do idioma, elemento fundador da cultura do país. Foi eleito pelo Trip Advisor um dos três melhores museus do Brasil e da América Latina em 2015. Sua instalação na Estação da Luz é simbólica: foi ali o ponto de chegada de imigrantes de vários lugares do mundo, com diferentes idiomas e sotaques, no coração de São Paulo – maior cidade de falantes de português do mundo.

Sobre a Fundação Roberto Marinho: A convicção de que a comunicação pode ser instrumento para transformação social motivou a criação da Fundação Roberto Marinho, em 1977. Suas iniciativas promovem o direito à educação, incentivam o protagonismo, valorizam a cultura brasileira e o meio ambiente. Dentre elas estão o programa de educação Telecurso; de educação profissional, Aprendiz Legal; os museus da língua portuguesa e do Futebol, Museu de Arte do Rio, Museu do Amanhã e Museu da Imagem e do Som; o Futura, um projeto social de comunicação que alia programação com conhecimento útil para a vida e ações de mobilização social; e iniciativas de educação ambiental, com foco na gestão sustentável dos recursos naturais (Florestabilidade), e no incentivo à ciência e tecnologia (Prêmio Jovem Cientista).

Sobre a EDP: A EDP atua nas áreas de Geração, Distribuição, Comercialização e Soluções em Energia Elétrica e está no País há mais de 20 anos, com presença em oito estados: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, São Paulo e Tocantins. Com a operação das distribuidoras nas áreas de concessão no Espirito Santo e em São Paulo, a companhia atende mais de 3,3 milhões de clientes. A empresa é pertencente ao Grupo EDP, uma das maiores operadoras europeias no setor elétrico, presente em 14 países.

Sobre o Grupo Itaú: A Itaúsa – Investimentos Itaú S.A é uma holding pura de capital aberto, que concentra todas as decisões financeiras e estratégicas das empresas que controla: Duratex, Elekeiroz e Itautec, do ramo industrial, e Itaú Unibanco e Itaú BBA, do setor financeiro. Essas companhias são líderes nos segmentos em que atuam. Por meio delas, a Itaúsa está presente no Brasil e em mais de 20 outros países. A holding também atua no setor cultural e socioambiental por meio do Itaú Cultural e da Fundação Itaú Social.

Sobre o Grupo Globo: O Grupo Globo é um conjunto de empresas de mídia, 100% brasileiro, que cria, produz e distribui conteúdo que chega a 99,6% dos lares do país, em todo território nacional. O grupo é composto pelas empresas Globo, Globosat, Globo.com, Editora Globo, Infoglobo, Sistema Globo de Rádio, Som Livre e ZAP.