Oswald de Andrade: o culpado de tudo

Oswald foi um escritor que pensava nas transformações da sociedade em que vivia. O escritor nasceu em São Paulo, no Brás, em 1890, e faleceu em 1954.
A exposição “Oswald de Andrade: o culpado de tudo” foi um convite para uma viagem no tempo, onde o visitante pôde mergulhar nas ideias do autor.

Com curadoria de José Miguel Wisnik e cenografia de Pedro Mendes da Rocha, a exposição contemplou diferentes fases da carreira do escritor, divididas em: poética, biográfica e filosófica.

Entre os fatos marcantes de sua vida estão a Semana de Arte Moderna, de 1922, e a crise financeira de 1929, que levou o escritor à falência, bem como os casamentos com Tarsila do Amaral e Patricia Goulart, a Pagu.
Oswald de Andrade contribuiu com a formação de uma cultura contemporânea e, com seu olhar contestador, escreveu o Manifesto Antropófago (ou Antropofágico), uma nova forma de lidar com a cultura vinda do exterior.

Com a frase “contestar é um dever da inteligência”, a mostra sobre Oswald levou o visitante ao seu universo cheio de ironias, muitos questionamentos e influências na música, na literatura e nas artes visuais. Partindo da obra e pensamento de um escritor que pensava à frente de seu tempo, a mostra propunha ao visitante uma reflexão crítica sobre o seu próprio tempo.

Curiosidades

Oswald não gostava de ser chamado de “Ôswald” por remeter à forma inglesa. Ele aceitava “Oswaldo” e “Oswáld”
O escritor criou um Dicionário de Bolso para, de maneira irônica, definir algumas personalidades
Oswald se formou em Direito pela Faculdade de São Paulo, mas não exerceu a profissão