Museu da Língua Portuguesa encerra reconstrução da cobertura

O Museu da Língua Portuguesa encerrará na próxima quarta-feira (18/07) a reconstrução de sua cobertura. Nessa data, será içado e instalado o coroamento central do teto, completando a estrutura e a reconstituição do telhado após o incêndio de 2015.

A partir de recomendação de especialistas, a cobertura foi reconstruída usando madeira, que em caso de incêndio é um material mais resistente do que estruturas metálicas. Essa característica já havia ficado clara em 2015, quando o telhado suportou e as peças de madeira, depois de recuperadas, puderam ser reaproveitadas em outras áreas do prédio. As telhas colocadas agora são de zinco, assim como acontecia na versão original da edificação.

A cobertura do prédio que abriga o Museu da Língua Portuguesa tem o equivalente a 89.150 kg de madeira certificada, proveniente da Amazônia, do tipo cumaru. A estrutura ganhou nova configuração no interior, com as peças combinadas a cabos de aço na sustentação da cobertura de zinco, num desenho que acrescentou leveza e visibilidade ao ambiente do terceiro andar. A volumetria externa foi mantida.

Além da reconstrução da cobertura, já foram concluídos o restauro da fachada e das esquadrias e as ações de conservação da Ala Oeste, que não foi atingida pelo incêndio de 2015. Em setembro está previsto o início das obras na parte interior do prédio, e a previsão é que o Museu da Língua Portuguesa seja reaberto no segundo semestre de 2019.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú e Sabesp e apoio do Governo Federal, por meio da Lei Federal de Incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu.