Museu da Língua Portuguesa realiza oficinas de artes para profissionais que atuam na reconstrução

A atividade reforça a importância de cada trabalhador que participa do restauro

 

Desde dezembro de 2015, o edifício da Estação da Luz vem sendo restaurado para trazer o Museu da Língua Portuguesa de volta. Por se tratar de um prédio histórico com mais de 100 anos, o processo é longo e conta com o apoio de muitas empresas.

Nessa tarefa, há pessoas envolvidas que, muitas vezes, não são vistas. Para valorizá-las e reforçar a importância do trabalho que fazem, o Museu da Língua Portuguesa realiza o Canteiro de Artes –  ação que promove atividades e oficinas de artes com os trabalhadores da obra. A iniciativa reforça a importância do profissional da construção civil na preservação de patrimônios.

As atividades são desenvolvidas pela Mestres da Obra, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que, há 15 anos, contribui para o fortalecimento das questões socioambientais e culturais. Os encontros acontecem a cada 15 dias em grupos de seis a dez pessoas.

Foto de homens em volta de uma mesa redonda fazendo colagens com papeis coloridos.

A ação abrange oficinas de pintura, escultura, fotografia nas quais os trabalhadores são instigados a produzirem suas próprias criações artísticas a partir de materiais descartados na construção. Além de explorarem os caminhos da arte, os profissionais são estimulados a refletirem sobre a construção do prédio, sua história e a relação do local com a língua portuguesa, que se constrói e se modifica todos os dias.

 

Caio Salay, educador que conduz o Canteiro de Artes, destaca a importância do trabalho. “Tem sido uma iniciativa surpreendente. Muitas são as impressões que nos deixam com a sensação de estar percorrendo um caminho necessário e belo dentro deste prédio tão significativo em reconstrução. Para que possamos atingir isso, o caminho tem sido o da percepção, do diálogo, da troca de ideias, da criação de um ambiente de descontração e reflexão. Tudo isso com um apelo estético que possa instigar a todos que ali transitam a estabelecer novas relações com o espaço que transformam”, diz Caio.

Para Arthur Zobaran, arquiteto e diretor institucional da Mestres da Obra: “Aqui a gramática se mistura com farinha para ser compreendida. Aqui a fala se mistura com cores, crenças e lugares. Aqui se aprende que somos mutáveis, assim como nossa língua.”

Foto de oito homens em pé durante a oficina Canteiro de Artes.

As oficinas acontecem até julho de 2018 e ao final será criado um gabinete de curiosidades com base nas produções dos profissionais que trabalham na obra de restauro do edifício.

O projeto de restauro do Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura, realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo e Grupo Itaú e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu. O Canteiro de Artes conta com apoio da construtora Concrejato e da OSCIP Mestres da Obra.