Museu da Língua Portuguesa lança novo site

Construído com a premissa de permitir a navegação de todos os públicos, o site celebra a memória do Museu e traz informações sobre sua reconstrução

No próximo dia 17 de outubro, o Museu da Língua Portuguesa (MLP), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, coloca no ar seu novo site. O novo ambiente é parte do conceito “O Museu está sendo reconstruído. Mas é a nossa língua que está sempre em construção”, que busca manter viva a conexão entre o Museu e seu público durante o período de reconstrução, por meio da presença digital e também da realização de atividades off-line.

O novo ambiente conta com três seções principais: Reconstrução, Memória e Educativo, além da área de novidades.

No ambiente RECONSTRUÇÃO, o visitante pode se informar sobre o processo de reconstrução e restauro do Museu da Língua Portuguesa. Na seção, é possível acompanhar uma LINHA DO TEMPO completa, que mostra cada marco, desde o incêndio que atingiu o prédio em dezembro de 2015 até hoje, além de um cronograma da obra até a reabertura.

A linha do tempo também registra as ações de mobilização realizadas durante o período de reconstrução, como a comemoração do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, na Estação da Luz, a presença do Museu na 15ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) e na 18ª edição da Bienal Internacional do Livro Rio, entre outras, mostrando que o Museu segue vivo durante o restauro.

Ainda na seção Reconstrução, o visitante encontra informações sobre os PARCEIROS DA RECONSTRUÇÃO: a EDP (patrocinador máster), o Grupo Globo e o Grupo Itaú (patrocinadores).

A seção MEMÓRIA é totalmente dedicada à celebração dos quase 10 anos em que o Museu da Língua Portuguesa esteve de portas abertas e recebeu aproximadamente 4 milhões de pessoas. Nela, o visitante pode relembrar, por meio de fotos e textos, como era a EXPOSIÇÃO PRINCIPAL, em um modelo de navegação intuitivo, dividido entre os andares do prédio. Na seção, também é possível conhecer ou recordar algumas das 34 EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS que passaram pelo Museu, como “Menas o Certo do Errado, o Errado do Certo”, “Clarice Lispector A Hora da Estrela”, “O Francês no Brasil em Todos os Sentidos”, entre outras. Futuramente, a área será atualizada com mais exposições temporárias.

Na seção EDUCATIVO, o visitante tem acesso a materiais educativos do Museu. No lançamento, serão disponibilizadas três áreas: BIBLIOTECA, que contém textos sobre língua portuguesa e artigos relacionados ao nosso idioma, produzidos por diversos autores; EDUCAÇÃO EM MUSEUS, que traz textos sobre práticas educativas em museus brasileiros, mapeadas pelo Museu da Língua Portuguesa para propiciar trocas de experiências e potencializar iniciativas que auxiliem a formação de mediadores culturais; e CADERNOS EDUCATIVOS, que apresenta materiais educativos sobre exposições temporárias do Museu, preparados pelo seu Núcleo Educativo para desdobrar os conteúdos e aspectos da língua portuguesa presentes nessas exposições.

Por fim, o visitante pode se manter atualizado na seção FIQUE POR DENTRO, que traz notícias, entrevistas e artigos relacionados à língua portuguesa e ao Museu.

Acessibilidade digital

Hoje, no Brasil, existem mais de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência – uma população do tamanho do Canadá, Espanha e Argentina. Porém, estima-se que pelo menos 95% dos sites brasileiros apresentem barreiras de navegação e não sejam acessíveis. Assim, a acessibilidade digital foi uma das principais preocupações durante a reestruturação do site do Museu da Língua Portuguesa.

Para proporcionar a navegação de públicos diversos – com ou sem algum tipo de deficiência –, o site atende às Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) 2.0 e está adaptado para cegos, pessoas com baixa visão, deficiência auditiva, deficiência motora ou mobilidade reduzida, deficiência intelectual, além de pessoas com idade avançada.

Desenvolvido pela agência Espiral Interativa, com expertise na área da acessibilidade digital, o site também é responsivo e está pronto para a navegação por meio de dispositivos móveis.

Histórico da reconstrução

Apenas 48 horas após o incêndio, foram iniciadas as ações emergenciais na Estação da Luz e no Museu da Língua Portuguesa, com o objetivo de preservar o conjunto arquitetônico, protegendo as áreas descobertas. Dentre elas, a impermeabilização das lajes expostas, instalação de sistemas de drenagem e construção de uma cobertura provisória, além da limpeza de equipamentos e mobiliário.

Em janeiro de 2016, foi firmado convênio entre a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho e a organização social IDBrasil, com o objetivo de reconstruir o Museu da Língua Portuguesa. A Fundação Roberto Marinho, instituição ligada ao Grupo Globo, responsável pela criação original do Museu da Língua Portuguesa, é responsável pela concepção e realização do projeto, em parceria com o Governo do Estado do São Paulo.

Em março, o Governo do Estado de São Paulo e a Fundação Roberto Marinho deram início a uma articulação junto à iniciativa privada para apoiar a reconstrução, com o apoio da Granito & Partners.

Três meses depois, foi realizado na Pinacoteca de São Paulo um seminário aberto ao público, com participação de profissionais envolvidos na criação e operação do Museu, com o objetivo de debater as conquistas e os caminhos para sua reconstrução, após o incêndio de dezembro de 2015. Ao longo de todo ano de 2016, o IDBrasil realizou atividades educativas e exposições itinerantes em São Paulo.

Em 12 de dezembro de 2016, o Governo do Estado de São Paulo e a Fundação Roberto Marinho anunciaram a aliança solidária em prol do Museu da Língua Portuguesa. A EDP é patrocinadora máster. Grupo Itaú e Grupo Globo são patrocinadores do Museu, que conta com apoio da lei federal de incentivo à Cultura.

O custo estimado da reconstrução é de R$ 65 milhões, sendo R$ 36 milhões provenientes da iniciativa privada e R$ 34 milhões da indenização do seguro contra incêndio. R$ 3 milhões foram utilizados em ações emergenciais e R$ 2 milhões serão destinados para contribuir com o primeiro ano de manutenção do Museu após sua reinauguração.

Sobre o Museu da Língua Portuguesa

Em 10 anos de funcionamento, o Museu recebeu cerca de 4 milhões de visitantes (319 mil destes em ações educativas). Primeiro do mundo totalmente dedicado a um idioma, trouxe ao país um novo conceito museográfico, que alia tecnologia e educação. Com uma narrativa audiovisual e ambientes imersivos, permitiu aos visitantes descobrir novos aspectos do idioma, elemento fundador da cultura do país. Foi eleito pelo Trip Advisor um dos três melhores museus do Brasil e da América Latina em 2015. Sua instalação na Estação da Luz é simbólica: foi ali o ponto de chegada de imigrantes de vários lugares do mundo, com diferentes idiomas e sotaques, no coração de São Paulo – maior cidade de falantes de português do mundo.